A cortesia deve ser um hábito!

By Leila Maria - fevereiro 06, 2018






As boas maneiras tornam suas relações interpessoais mais fáceis e agradáveis 
Por mais que a tecnologia tenha evoluído, as pessoas ainda são a chave para o sucesso em qualquer campo de atividade. São pessoas que têm brilhantes idéias, são as pessoas que motivam e reconhecem os talentos, são as pessoas que desenvolvem e controlam as tecnologias de última geração, são pessoas, enfim, que buscam produtos e serviços inovadores. Por isso, saber lidar com gente pode até não garantir o sucesso na carreira, mas não saber pode antecipar o fracasso. 
Estabelecer bons relacionamentos nos mais diversos níveis de interação humana exige conhecimento e respeito às regras básicas das boas maneiras. Entenda-se por boas maneiras a definição geral dada ao termo: a arte de fazer as pessoas se sentirem bem com você e vice-versa. Nada muito diferente das lições ensinadas por mães e avós: cumprimentar a todos, dar preferência aos mais velhos, pedir por favor, pedir licença, comportar-se bem em público. 
Esqueça-se do velho princípio que manda tratar a todos de forma igual. Se quiser ser bem-visto entre as pessoas de seu convívio, trate a cada uma delas como gostaria de ser tratada. 
Isso leva-lhe ao próximo passo: abrir os olhos e a mente para o mundo a seu redor, prestar atenção aos diferentes comportamentos, ouvir efetivamente. Ouvir atentamente é a forma mais eficaz de se conhecer alguém e, consequentemente, saber como tratá-lo. Se você conseguir, de alguma forma, amenizar as inseguranças e insatisfações de alguém - seja ouvindo-o com atenção, incentivando-o, tratando-o com respeito, demonstrando disposição para ajudá-lo - você certamente será uma companhia agradável e contará sempre com colaboradores a seu redor. 
A prática das boas maneiras não exige situações especiais, mas deve ser um hábito. Precisa estar presente nas ações corriqueiras do dia-a-dia, seja no ambiente de trabalho, no elevador, nos transportes coletivos, no trânsito, entre familiares e colegas. Praticar boas maneiras implica: 
Ser assertivo, sem ser agressivo - Defenda seu ponto de vista, mas sem fazer imposições. 
Evitar confrontos - Diante do conflito, insultar ou xingar alguém só pioraria a situação. Além disso, sua imagem sairia comprometida. 
Respeitar a privacidade alheia - Evitar assuntos relacionados à vida intima dos outros e à sua própria. Vida, temas sobre religião. 
Evitar o uso excessivo de acessórios (bijuterias e jóias) e de perfume - Lembre-se de que nem sempre sua fragrância predileta é a mesma do seu colega. 
Evitar queixar-se em excesso - Sobre o País, o governo, a empresa. Você não vai ganhar nada com isso e ainda pode passar por chato. 
Ser flexível - Procure ver as coisas pelo ponto de vista do outro. 
Vestir-se de acordo com o ambiente - Por mais que você se sinta à vontade usando um jeans desbotado e uma camiseta velha, saiba que esse trajar despojado nem sempre causa a mesma sensação de conforto às pessoas com as quais mantém contato. A aparência descuidada pode levar seus colegas, chefes ou clientes a duvidar de sua competência ou no mínimo de seu bom gosto. 
Dizer não de forma tão elegante como se dissesse sim - Deixe claro que você discorda da idéia, não da pessoa. 
Fazer as pessoas sentirem-se importantes na sua companhia, por mais humildade que elas sejam. 
Ser amável também com as pessoas mais próximas a você: as da sua família . 
Manter-se atento às datas importantes para as pessoas com quem convive. 
Interessar-se verdadeiramente pelas pessoas. 
Ser cortês não é garantia de realização profissional e pessoal, mas no mínimo ajuda a tornar melhor seu dia-a-dia, seja em casa ou no trabalho. 
Isso só já vale a pena fazer da cortesia um hábito. 


                                                  Texto de Maria de Lima



  • Share:

You Might Also Like

0 Comments