29 de junho de 2017

# reflexão

Um Bom Pai



Um bom pai não é aquele que nunca perde a paciência, mas é aquele que dialoga muito com os seus filhos, que tem prazer em entrar no mundo deles, que não os deixa do lado de fora da sua história. Ninguém tem filhos sabendo o que é ser pai. Ser pai exige um constante treino, em que os erros corrigem as rotas e as lágrimas acertam os caminhos. Educar filhos é uma tarefa complexa. Costumo brincar e dizer que os melhores filhos para serem educados são os dos outros e não os nossos. E fácil educar os filhos dos outros, pois não temos vínculos nem dificuldades com eles. Sem vínculo, o amor não cresce, mas onde há vínculos há sempre problemas e atritos. Não acredite em manuais mágicos de educação. Acredite na sua sensibilidade. 

A melhor educação que os pais podem dar aos seus filhos é dividir a sua história com eles. O melhor treino da emoção é falar das suas frustrações, dos seus momentos de hesitação, das suas conquistas, dos seus sonhos, dos seus erros. Nunca houve tantos divórcios, mas o ser humano não deixa de se unir. Porquê? Porque viver em família é uma das experiências mais prazerosas da existência. 

Os pais não devem ter vergonha de pedir desculpa aos seus filhos quando se zangarem ou agirem injustamente para com eles. Eu peço desculpa às minhas filhas quando falho. Porque é que não me escondo atrás do meu conhecimento e da minha autoridade? Porque desejo treiná-las de forma a tornarem-se mais humanas, a aprenderem a não ter medo de errar, a falarem dos seus sentimentos e a transformarem as suas derrotas em experiências de rida. 

O melhor presente para os filhos é dar o seu tempo e a sua presença. Elogie-os muito mais do que criticá-los. Nunca critique ninguém sem antes o elogiar. Os elogios animam a alma. Precisamos de aprender a linguagem da emoção. Quem almeja ver dias felizes precisa de aprender a chorar. Quem deseja ser um sábio precisa de reconhecer a sua debilidade. Quem quer ser um mestre precisa de aprender a ser, antes de tudo, um grande aluno na escola da vida. 

Augusto Cury, in 'Treinar as Emoções Para Ser Feliz '