7 de janeiro de 2016

# Dicas # oportunidade

Criação de Codornas


Codorna-amarela

A codorna-amarela é uma ave tinamiforme da família Tinamidae.
Seu nome científico significa: do (grego) nothos = falso; e oura = cauda; e do (latim)maculosa, maculosus = manchada, com mácula. ⇒ Pássaro manchado com cauda falsa.
Também conhecida como codorna, codorna-comum, codorniz (Euler 1900), inhambuí, perdirzinho, perdiz e perdizinho.

Características

Tem cerca de 23 centímetros e pesa aproximadamente 300 gramas. Suas cores são camufladas, confundindo-a com o ambiente. Todas as suas partes primárias são marrons barradas de amarelo.
Segundo informado na página 154 do livro Ornitologia Brasileira (Sick), o macho possui íris amarela e a fêmea possui íris pardo-laranja.
Manifestações sonoras: emite pios curtos, em escala descendente: “pi, pi, pi, prrrrr”.

codorna-amarela macho

codorna-amarela jovem

Subespécies

Possui oito subespécies:
  • Nothura maculosa maculosa (Temminck, 1815) - ocorre no Sudeste do Brasil até o Paraguai, no Uruguai e no Nordeste da Argentina;
  • Nothura maculosa cearensis (Naumburg, 1932) - ocorre no Nordeste do Brasil (sul do Ceará);
  • Nothura maculosa major (Spix, 1825) - ocorre no Interior do Brasil nos estados de Minas Gerais, Goiás e na região adjacente do estado da Bahia;
  • Nothura maculosa paludivaga (Conover, 1950) - ocorre na região Central do Paraguai e na região Cenral e Norte da Argentina;
  • Nothura maculosa pallida (Olrog, 1959) - ocorre no Chaco e nos campos gramados do Noroeste da Argentina;
  • Nothura maculosa annectens (Conover, 1950) - ocorre nos campos gramados do Leste da Argentina;
  • Nothura maculosa submontana (Conover, 1950) - ocorre nos sopés da Cordilheira dos Andes no Sudoeste da Argentina da região de Neuquén até Chubut;
  • Nothura maculosa nigroguttata (Salvadori, 1895) - ocorre nas planícies da região Sul e Central da Argentina nas províncias de Rio Negro até o Sudoeste de Neuquén.

Alimentação

Gosta de comer grãos, artrópodes, moluscos e também bagas de frutas caídas no chão.

codorna-amarela se alimentando

Reprodução

Põe de 7 a 8 ovos, que são cor chocolate-escuro, arroxeados e brilhantes. Eles são postos no chão de campos ou pastagens. Da mesma forma que a perdiz, cabe ao macho a tarefa de incubar os ovos e cuidar dos filhotes.

Casal de codorna-amarela

Ninho de codorna-amarela

Ovo de codorna-amarela

Filhote de codorna-amarela

Hábitos

Vive em campos rupestres de altitude, campos ralos e baixos, pastos, culturas de milho, arroz e soja. Aparece em áreas rurais próximas às residências e, se não é importunada, acostuma-se facilmente ao homem. Não penetra nas matas ciliares e cerradões. Às vezes esconde-se em buracos e quando assusta-se, finge-se de morta.

Bando de codorna-amarela

Predadores


gavião-cinza (Circus cinereus)

garça-vaqueira (Bubulcus ibis)

águia-chilena (Geranoaetus melanoleucus)

quiriquiri (Falco sparverius)

Distribuição Geográfica

Ocorre nas regiões norte (no Tocantins), Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil, além da Argentina, Uruguai e Paraguai.

  Ocorrências registradas no WikiAves

Referências

Galeria de Fotos




Apostila

A codorna doméstica, difundida pela sua alta produtividade é explorada com o objetivo de produzir carne e ovos.

Esta apostila tem como finalidade levar aos inúmeros interessados na criação de codornas os conceitos básicos de manejo, alimentação e reprodução, extremamente fundamentais para um bom desempenho da criação, seja profissional ou simplesmente por hobby.

Alguns dos assuntos abordados: Iniciando a criação, Gaiolas Criadeiras; Incubação, Como fazer uma incubadeira, filhotes, reprodutores; Cuidados; Criação caseira; Criação comercial; Abrigos funcionais; Comedouros; Bebedouros; Gavetas para engorda; Alimentação; Como prevenir doenças; Mercado; O ovo de codorna  entre outros.


Clique aqui e saiba mais.