LANGUIDEZ: A SENSAÇÃO DE VAZIO ENTRE DEPRESSÃO E ÊXTASE

 



O ano de 2020 foi marcado por mudança nos costumes sociais para muitas pessoas devido a limitações de convívio impostas pela pandemia da covid-19. Em função da pandemia, muitas pessoas passaram a ficar mais tempo em casa desenvolvendo suas atividades, quase que exclusivamente em casa e restringindo ao máximo as saídas, bem como o convívio social presencial.
No início da pandemia, a oportunidade de ficar em casa dividiu as pessoas. Houve as que se sentiam presas em casa, sem liberdade, mas houve também as que viam o fato de ficar em casa como uma oportunidade de ter uma rotina menos agitada e ter um tempo a mais para organizar e fazer coisas que antes não tinham tempo.
Havia entusiasmo com as atividades agora feitas em casa: uma alimentação caseira de qualidade, ginástica ou uma sessão de filmes conjunta com a família. Com o passar do tempo, ficar em casa também se tornou rotina para muitas pessoas e esse fato, e a incerteza por não ter um tempo determinado para o fim dessa situação, começou a levar essas pessoas a uma nova condição. Os dias começaram a virar semanas, meses e, para muitos, se completou um ano nessa situação, dando uma sensação de falta de possibilidade de mudança, falta de vislumbre de um fim. Junto com essa sensação, a empolgação e os planejamentos iniciais foram aos poucos diminuindo, até que se chegou num sentimento de vazio.
Languidez ou lassidão é um termo usado para descrever um estado de vazio, falta de ânimo, um estado de espírito cansado diante dos acontecimentos do cotidiano e da vida. É um estado de apatia entre a depressão e a ansiedade. Na depressão, as pessoas sentem uma paralisação que suga as energias. Já na languidez, seguem fazendo as atividades do dia a dia, mas apenas num modo de cumprir, sem animação, sem enxergar um propósito na realização delas. A sensação é que os dias estão se arrastando no meio das diversas tarefas e obrigações. Tarefas que antes traziam ânimo e até desafiavam passam a ser apenas mantidas por simples questão de rotina.
Uma pesquisa feita em 2010 pela Universidade de Emory nos Estados Unidos mostrou que as pessoas com languidez provavelmente irão desenvolver depressão ou transtornos de ansiedade. Um outro estudo publicado em fevereiro de 2021 por um grupo de pesquisadores na Itália apontou que profissionais de saúde que se sentiam apáticos tinham três vezes mais chance de desenvolver transtorno de estresse pós-traumático que os outros colegas sem languidez. Segundo os especialistas em saúde mental, um dos grandes problemas em relação à languidez é que a pessoa, muitas vezes, não percebe que sua saúde mental está se alterando, não percebe que está sofrendo e, portanto, não pensa em procurar ajuda.
É importante que qualquer assunto que incomoda tenha espaço e possibilidade para ser conversado sem julgamentos e com escuta amorosa. É importante procurar ajuda e sempre conversar sobre nossas angústias. Precisando conversar ligue para o CVV pelo telefone 188 ou acesse www.cvv.org.br

Viviane – CVV Belém




Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem