…não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade. 1 João 3:18

Irritado com um jovem atleta que teve pouco rendimento, mas se gabava de sua habilidade, um comentarista de TV disse: “Não me diga o que vai fazer — diga-me o que fez.” Os atos falam mais alto do que as palavras.
Vemos tal princípio na vida de Jesus, quando lhe trouxeram um paralítico. Qual foi a resposta dele? “…estão perdoados os teus pecados”. Quando os líderes religiosos fizeram objeções, Jesus suscitou a pergunta do momento: “Pois qual é mais fácil? Dizer: Estão perdoados os teus pecados, ou: Levanta-te e anda?” (Mateus 9,5).
A resposta é óbvia. Dizer que Jesus perdoou os pecados do homem era simples porque não podia ser provado ou refutado. Mas dizer: “Levante-se, pegue a sua maca e vá para casa” era diferente. Era algo comprovado instantaneamente. Por isso, para provar a Sua autoridade de perdoar pecados, Jesus disse aquilo ao paralítico (v.6). E este assim o fez!
Os atos de Jesus sustentavam as Suas palavras, e assim também deveria ser conosco. João escreveu: “Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade (1 João 3:18). O que dizemos é de grande significado para quem nos observa somente se for coerente com o que fazemos. Ao falarmos às pessoas do amor de Cristo, tais palavras terão um forte impacto se seguidas por atos de amor e bondade.