Quem são os culpados no caso da menina estuprada?




Sempre que acontece algo como o estupro de uma garotinha, seguido de um aborto decidido na justiça, minha caixa postal fica cheia de mensagens de pessoas perguntando o que a Bíblia ensina a respeito. Antes de responder quero deixar claro que minha opinião de nada valerá se não estiver embasada na inerrante Palavra de Deus, a Bíblia. Então vamos ver o que Deus pensa do assunto.


No primeiro capítulo de Gênesis vemos o Senhor criando todos os seres vivos, e coroando sua criação com a criação da humanidade, formada por homens e mulheres. Embora o relato mostre o homem Adão como o primeiro ser criado, e Adão significa humano, o mesmo nome foi dado a ambos, ao homem e à mulher que dele foi tirada: "Homem e mulher os criou; e os abençoou e chamou o seu nome Adão, no dia em que foram criados." (Gn 5:2). Foi Adão quem deu o nome de Eva à sua mulher, e isso como um ato de fé crendo que Deus não os exterminaria de vez depois de terem caído em pecado. "E chamou Adão o nome de sua mulher Eva; porquanto era a mãe de todos os viventes." (Gn 3:20).

Eva recebeu o nome de "mãe" e as mães sempre foram extremamente valorizadas por Deus em todos os tempos. Principalmente pelo fato de uma mulher, e não um homem, ter sido escolhida para trazer ao mundo seu Filho, Jesus. Foi por meio de uma virgem, que serviu de receptáculo de um ser gerado pelo Espírito Santo, que a salvação pôde ser oferecida a todos os homens. Um detalhe: Jesus já era Jesus, um ser vivo e integral em sua Pessoa, no momento em que foi gerado no ventre de Maria.

"Mas o anjo lhe disse: Maria, não temas; porque achaste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem chamarás pelo nome de Jesus. Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; Deus, o Senhor, lhe dará o trono de Davi, seu pai; ele reinará para sempre sobre a casa de Jacó, e o seu reinado não terá fim. Então, disse Maria ao anjo: Como será isto, pois não tenho relação com homem algum? Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus." (Lc 1:30-25).

Fica muito claro que Maria já carregava em seu ventre, não uma célula sem personalidade, mas um Ser santo e até com nome e missão determinados. Já pensou que desastre seria se Maria fosse uma mulher moderna e progressista, que tivesse um quadro na parede de seu quarto com os dizeres "MEU CORPO, MINHAS REGRAS"? Pense nas consequências de ela decidir se livrar daquela gravidez indesejada — sim, porque para todos os efeitos até José pensou em desfazer o noivado quando soube que ela tinha ficado grávida de outro! Maria devia ter, segundo a tradição judaica, uns doze anos de idade ao ser prometida a José, e menos de quatorze anos ao se tornar mãe de Jesus.

Sendo Deus o Criador da vida, é somente ele quem tem o direito de decidir como dispor dela. "O Senhor é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela... Todas as vidas são minhas, tanto a do pai como a do filho; e aquele que pecar é que deve pagar com a própria vida!... Quem derramar o sangue do homem, pelo homem o seu sangue será derramado; porque Deus fez o homem conforme a sua imagem." (1 Sm 2:6Ez 18:4 KJA; Gn 9:6).

Repare que no último versículo Deus condena tanto o que tira a vida de seu próximo, como também ordena que a vida do homicida seja tirada. Ou seja, foi ali que Deus institui a pena de morte para certos tipos de crimes, e nunca mais a revogou. Porém os homens, achando-se mais sábios que Deus, deixaram de aplicar a pena de morte em alguns países, o que é um erro aos olhos do próprio Senhor que deu a eles autoridade de governar.

Então em nossa investigação vamos ver se você consegue identificar os primeiros culpados no modo de lidar com os crimes da humanidade. Se você disser que são os legisladores que votam a favor de uma pena mais branda que a morte, então acertou.

Mas vamos continuar, agora falando especificamente do estupro que a Bíblia deixa claro ser um crime medonho. Em Gênesis 34:2 vemos o caso de Siquém, que estuprou Diná: "E Siquém, filho de Hamor, heveu, príncipe daquela terra, viu-a, e tomou-a, e deitou-se com ela, e humilhou-a." Aquilo levou a consequências terríveis em seu desdobramentos, mostrando que um pecado sempre leva a outro e a mais outro, às vezes até mais graves que o primeiro.

Mais tarde, quando foi dada a Lei, ela incluía em Deuteronômio 22 diferentes formas de violação a mulheres com diferentes penalidades. O estuprador arruinava a vida da jovem estuprada, pois deixando de ser virgem ela não conseguiria mais se casar e obter sustento, o que tornava o estuprador responsável em se casar com a jovem violada para sustentá-la por toda a vida. Mas havia também situações em que a pena de morte era aplicada ao estuprador. "Se, contudo, um homem encontrar no campo uma jovem prometida em casamento e a forçar, somente o homem morrerá." (Dt 22:25 NVI).

E quando se tratasse da violação de uma menina? O que já disse sobre a idade em que as meninas eram dadas em casamento na antiguidade mostra que uma menina passava a ser considerada mulher quando estivesse pronta para engravidar. Mas se fosse molestada quando criança, a gravidade seria infinitamente maior, pois o assunto foi tratado diretamente pelo Senhor nos evangelhos. "Quem recebe uma destas crianças em meu nome, está me recebendo. Mas se alguém fizer tropeçar um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe seria amarrar uma pedra de moinho no pescoço e se afogar nas profundezas do mar. ... Cuidado para não desprezarem um só destes pequeninos! Pois eu lhes digo que os anjos deles nos céus estão sempre vendo a face de meu Pai celeste." (Mt 18:5-610).

Neste ponto você também já estará preparado para identificar quem mais foi culpado no caso da garota estuprada e induzida a não querer ser mãe. Segundo a Bíblia o estuprador é passível de pena de morte, mas considerando que os legisladores que Deus coloca como autoridades no governo do mundo decidiram suprimir a pena capital, temos já dois responsáveis: o estuprador, que violentou a menina, e os legisladores, que se omitem em obedecer o mandamento dado por Deus em Gênesis 9, quando Deus instituiu o governo humano com poder de vida e morte sobre seus governados.

"Certamente requererei o vosso sangue, o sangue das vossas vidas; da mão de todo o animal o requererei; como também da mão do homem, e da mão do irmão de cada um requererei a vida do homem. Quem derramar o sangue do homem, pelo homem o seu sangue será derramado; porque Deus fez o homem conforme a sua imagem." (Gn 9:5-6).

Antes que você esteja achando que eu iria me juntar às turbas de católicos e evangélicos com sangue nos olhos querendo caçar o estuprador e castrá-lo com motosserra, esqueça. Na lista de culpados da humanidade eu me incluo também, por ser igualmente nascido em pecado e trazer dentro de mim todo o potencial para os piores crimes já cometidos. O Senhor Jesus disse: "Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias." (Mt 15:19).

Neste ponto percebo você querendo dizer que nunca seria capaz de estuprar uma garotinha. Então Jesus se enganou ou talvez seja o caso de você ter vindo de outro planeta. Porque dos seres humanos nascidos no planeta Terra ele disse que de seus corações, inclusive do meu, procedem toda sorte de crime e maldade. E tem mais:

"Pois quê? Somos nós mais excelentes? De maneira nenhuma, pois já dantes demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado; como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só. A sua garganta é um sepulcro aberto; Com as suas línguas tratam enganosamente; peçonha de áspides está debaixo de seus lábios; cuja boca está cheia de maldição e amargura. Os seus pés são ligeiros para derramar sangue. Em seus caminhos há destruição e miséria; e não conheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos." (Rm 3:9-18).

Se você me disser que não se enquadra nessa descrição eu sinceramente gostaria de conhecê-lo, pois você deve ter pele verde acinzentada, olhos grandes e já ter atuado na série "Arquivo X".

Quando Jesus disse que do coração do homem procedem "maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias" ele incluiu eu e você. E quando Paulo escreveu o que éramos e de como fomos purificados, ele incluiu mais alguns pecados na lista: "Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus. Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus" (1 Co 6:10-11).

É neste ponto que algum erudito no grego, hebraico e até na língua Klingon de "Jornada nas Estrelas" vai querer discutir dizendo que no original adúltero não é adúltero, efeminado não é efeminado e sodomita não é sodomita. E também é aqui que eu e outros iremos discordar, dizendo que NUNCA praticamos essa lista toda de iniquidades, mas aí trombamos com a declaração do Senhor em Mateus 5:

"Todo aquele que sem motivo se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo... Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela." (Mt 5:22-28).

Conheço um homem idoso que não tinha costume de ver TV de madrugada e uma noite perdeu o sono decidiu ligar a TV. Ficou escandalizado com o que viu. Não falo dos pastores que pedem dinheiro na calada da noite, mas dos programas de pornografia, hoje liberados para a madrugada. A perversão sexual e as fantasias que geram é hoje coisa comum na mente de todas as pessoas, graças à facilidade de acesso nas diferentes mídias.

No primeiro capítulo de Romanos a partir do versículo 26 o Espírito Santo descreve o ponto a que chegaram os seres humanos, incluindo mulheres que "mudaram o uso natural, no contrário à natureza" e os homens que, "deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza... para fazerem coisas que não convêm".

Ok, você talvez me diga que tem formação cristã e nunca praticou tais coisas, mas repare como termina o capítulo: "são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem.". Será que nunca ficou curioso de dar uma espiadinha para ver como é, nem que tenha sido com um olho só? O nome disso é voyerismo, a prática do que não se envolve na coisa em si, mas tem prazer em observá-la da platéia para alimentar suas tentações.

Tudo isso eu disse para que você solte as pedras (ou a motosserra) que trazia nas mãos antes de qualquer ação contra o estuprador. Que ele é culpado não há dúvida, mas os legisladores que votaram contra a pena capital também são. Nesta história toda apenas a menina e o bebê são vítimas. Sim, o bebê, porque um aborto de um bebê no sexto mês de gestação deveria se chamar parto antecedido de homicídio, mas nunca de aborto. O mundo está cheio de gente que nasceu de seis meses ou até menos.

Depois de ter tratado da culpa por leniência e supressão da pena de morte, e do crime de estupro, chegamos agora ao aborto. Mais uma vez entram na equação os legisladores que votaram uma lei aprovando esta modalidade de infanticídio. Digo "modalidade", pois existem muitas, inclusive as de algumas etnias indígenas da Amazônia que, além de usarem meios naturais de provocar o aborto, matam os bebês caso venham ao mundo com algum defeito físico ou mental, ou sejam gêmeos ou albinos. Os bebês são enterrados vivos.

O que dizer da responsabilidade dos responsáveis pela criança estuprada? Digo isto porque a criança é totalmente inocente, e nem mesmo pode ser responsabilizada por não querer que a gravidez fosse levada a termo. Muitos pais educam suas filhas com a ideia de que assassinar o bebê é menos ruim que trazer ao mundo um filho de estupro. Uma educação correta inclui mostrar que, no mundo arruinado pelo pecado no qual vivemos, pais e filhas podem um dia se deparar com uma decisão assim e que ter um filho não é a pior coisa do mundo, existindo sempre a possibilidade de entregá-lo à adoção. Antes que você use a motosserra em minha língua por dizer isso, saiba que crio um filho de prostituta com pai desconhecido, que nasceu cego e com paralisia cerebral.

E você, tem certeza de não ter sido gerado por um estupro? A possibilidade existe para cada um de nós, mas talvez você tenha até feito um exame de DNA para ter certeza de que seus pais são seus pais. Mas e seus avós? Bisavós? Tataravós? Percebe onde quero chegar? Ao fato de que grande parte da população mundial descende de um estupro cuja gravidez, se tivesse sido abortada, teria apagado seu perfil das redes sociais por você nunca ter existido. Já reparou quantos judeus existem louros ou ruivos, de olhos verdes ou azuis? Você acha que eles são realmente descendentes dos povos semitas, que são por natureza morenos, de tez e olhos escuros?

Foi um judeu que mais parecia o filme "Inferno na Torre", com barba e cabelo vermelhos como fogo e olhos azuis como o mar, quem me explicou isso. Nos milhares de anos que os judeus viveram errantes pelo mundo, era comum povos bárbaros germânicos ficarem entediados de brigarem entre si e invadirem aldeias de judeus. Os homens eram mortos, as mulheres e meninas estupradas, e meninos também não escapavam de ser molestados e feitos escravos sexuais. Sendo a mãe quem transmite o status de judeu aos filhos, a raça foi assim preservada até os dias de hoje, embora bem mais colorida do que o modelo original encontrado no Oriente Médio.

Você, garota judia de cabelos louros ou ruivos e olhos verdes ou azuis já sabe o que fazer com aquela camiseta "MEU CORPO, MINHAS REGRAS" que tem na gaveta, não é mesmo?

Eu sou descendente de portugueses e italianos, estes últimos principalmente do sul da atual Itália. Ora, durante uns oitocentos anos ou mais a Península Ibérica, onde estão Portugal e Espanha, foi dominada por mouros de pele escura vindos da África. Tamanha foi a miscigenação, ocorrida por estupros e casamentos mistos, que hoje essas populações têm predomínio de cabelos e olhos escuros. No sul da Itália não foi diferente. Eu, que tenho cabelos e olhos castanhos e tez morena, sou provavelmente descendente de alguma donzela cruzada à força com algum garboso cavaleiro mouro. Minha ancestral pode ter sido aquela que aparece na tapeçaria encontrada parede das casas de esfiha sendo levada num cavalo por um árabe em pleno rapto.

Apenas uma coisinha mais: Independente de quem tenha sido o personagem nessa lista de responsabilidades, uma coisa é certa: Deus está pronto a perdoar todo pecador que vai a ele arrependido de seu pecado e clamando por salvação. Até mesmo o estuprador? Sim, ele não é mais culpado que o apóstolo Paulo que, antes de sua conversão, prendia e enviava à morte famílias inteiras de cristãos. Preciso dizer o que os soldados faziam com as meninas que eram presas?

O estuprador, as autoridades com suas leis tortas, os médicos que levaram a cabo a morte do bebê, os pais da menina, atordoados com tantas vozes dizendo o que deviam fazer... Existe um perdão para todos porque "Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal." (1 Tm 1:15). Quando uma pessoa crê no Senhor Jesus ela é perfeitamente perdoada de todos os seus pecados, mesmo sendo um criminoso como foi aquele que da cruz pediu para o Senhor se lembrar dele quando entrasse no seu reino. Jesus não deu um perdão por medida, mas completo e cabal: "Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso." (Lc 23:43).

Se você está se sentindo indignado com a magnitude da misericórdia e graça de nosso Senhor Jesus Cristo, por ela incluir até perdão para o estuprador da garotinha é porque ainda não entendeu o evangelho  e, o que é pior, se acha melhor que estupradores, bandidos, traficantes, assassinos etc. O médico, por exemplo, será que ele se considera melhor que um assassino que abate uma vítima indefesa? 

Termino com o texto de Rebecca Kiessling, filha de um estuprador e de sua mãe estuprada, que decidiu seguir adiante com a gravidez:

"Todos nós já ouvimos alguém dizer: 'Sou contra o aborto exceto em casos de estupro...' ou 'A mãe deve decidir, principalmente em casos de estupro...' Você já chegou a considerar o insulto que é dizer a alguém 'Acho que sua mãe devia ter abortado você'? É como dizer 'Por mim você devia estar morta'. E é isso o que ouço todas as vezes que alguém diz que é a favor do aborto em caso de estupro, porque eu eu sou uma que teria sido abortada se a lei do estado de Michigan permitisse o aborto quando eu ainda era um feto. Posso garantir a você que ouvir essas coisas me faz mal.

Mas eu sei que a maioria das pessoas nunca pensam em um ser humano real ao se referirem ao aborto. Elas falam do aborto como se não passasse de um conceito. Dão sua opinião, deixam o assunto de lado e logo se esqueceram. Eu realmente espero que, por ter sido gerada de um estupro, eu possa ajudar a dar um rosto e uma voz à questão do aborto." — Rebecca Kiessling

                          por Mario Persona




Assine a nossa Newsletter

Back to top